Home Quem Somos Entrevistas Anuncie Fotos Agenda Artigos Seminários Contato

Artigos

Dicas Básicas para Ministração do Louvor


         Por Priscila Matamoros - Líder de Louvor

         Na foto: Joice Araújo - Ministra de Louvor no Ministério de Louvor Peniel






Quero deixar algumas dicas básicas para a Ministração do Louvor. Há muito além disso, mas com esta base já podemos iniciar o processo para uma ministração eficaz e que contribua para o Louvor do nosso Senhor.


1)      Avaliando as Canções.

                O ponto mais importante para quem ministra o louvor é conhecer, e muito bem a canção que está sendo ministrada. Devemos conhecer a letra, o sentido, a mensagem transmitida na música. Para isso é essencial que as canções sejam minuciosamente avaliadas antes de serem ministradas na igreja.

2)      A escolha das canções:

 

a)      Mensagem transmitida.

Cada canção tem uma mensagem central ou principal que está sendo transmitida. Precisamos identificar esta mensagem para que haja uma coerência na lista de canções selecionadas para o louvor. Nunca deve haver uma mistura de temas.

Existem algumas canções que apesar de terem uma mensagem fiel e verdadeira não podem ser colocadas numa mesma seleção.

Ex "...em tempos de guerra nunca pare de  lutar, não baixe as armas, nunca pare de lutar” ( Nunca pare de Lutar – Ludmila Ferber)

"Abaixar as armas, levantar o som de um alto louvor...” (Cordeiro e Leão – Ana Paula Valadão Bessa)

                Para que não haja esses "conflitos” de mensagem transmitida é importante determinar um tema para o louvor e então selecionar canções que transmitam a mensagem deste determinado tema.

b)      Temas

Existem vários temas que podemos abordar durante a ministração do louvor como por exemplo:

- Dependência de Deus

- Unidade

- Submissão

- Perseverança

- Promessas

- Guerra e Vitória (batalha espiritual)

- Poder do Louvor

- Milagres

- Adoração

- Rendição

- e muitos outros

 

Antes de escolhermos as canções a serem ministradas o tema deve ser identificado para seguirmos uma linha de pensamento e as pessoas recebam a mensagem sem embolar um monte de temas. Assim a igreja irá absorver muito mais o que está sendo ministrado. Outra coisa importante para se levar em conta na escolha do tema é o público alvo. Precisamos ter coerência na escolha das canções para determinados públicos.

               

c)       A ordem das canções

Para que a igreja receba bem a ministração do louvor é necessário seguir uma ordem na escolha das canções e isso diz respeito ao ritmo e ao encaixe da sequencia das músicas.

 

- Ritmo:

Não podemos fazer do louvor uma festa sem fim, nem uma melancolia sem fim, nem um vai e vem. Precisamos de um equilíbrio perfeito para a sequencia das músicas.

Não podemos jamais começar com músicas lentas e irmos acelerando o ritmo.

Também não podemos alternar os ritmos, tendo ora músicas rápidas, ora músicas lentas.

Também não podemos ter um louvor inteiro de músicas lentas.

Precisamos "subir a montanha” da adoração.

Começamos com músicas de júbilo, rápidas e alegres e aos poucos vamos levando a igreja ao lugar de adoração. Podemos comparar isso também com o templo, levando a igreja a sala do trono. Isso ajuda as pessoas a serem ministradas e também as prepara para receber a palavra.

 

- Encaixe das Músicas:

Após o encaixe dos ritmos precisamos encaixar as letras para que o caminhar seja trilhado e a mensagem transmitida não perca a direção.

A melhor forma de avaliar isso é pensando na canção anterior e próxima como uma só. Os temas se encaixam, a continuidade da mensagem transmitida se encaixa?

 

d)      Manipulando a escolha

- Não podemos ministrar canções que gostamos e deixar de lado a que não gostamos

- Não devemos cantar muitas canções de um mesmo ministério ou cantor(a)

- Não podemos escolher canções que sabemos que causa algum efeito na igreja.

 

 

 

 

3)      O porquê de tudo isso

 

a)      Coerência – Assim como numa pregação, o tema não pode variar e a direção não pode ser perdida.

 

b)      Importancia da mensagem – Não estamos apenas cantando. Estamos pregando através das canções. As pessoas precisam mesmo que inconscientemente receberem isto. Elas estão sendo ministradas e levadas a abrir o coração para receber algo e também para dar algo, a sua adoração.

c)       A batalha travada no louvor. Durante o louvor existe uma guerra espiritual. Se estiver tudo confuso, bagunçada e desordenado, nem precisa dizer que  vai ganhar esta batalha. Se a adoração e o louvor são armas de guerras, nós precisamos de estratégias para usá-las e não sair usando de qualquer forma.

 

PARA PRATICAR

Monte listas de louvor e as avalie.

 

 

4)      O que dizer nas ministrações

 

As palavras ministradas entre as canções, ou nos espontâneos obviamente precisam ser direcionadas pelo Espirito Santo. Mas o ministro precisa conhecer profundamente a palavra de Deus e ter discernimento e comunhão com Deus, pois é preciso estar muito atento para não misturarmos emoções, achismos, opniões próprias...

Precisamos tomar cuidado com as seguintes coisas:

 

a)      Estamos ministrando e não contando testemunho.

Podemos sim contar vez ou outra algo que aconteceu conosco, uma experiência própria e etc, mas não podemos transformar a ministração em testemunho de vida. Não podemos gastar muito tempo falando de nós mesmo, ou entre todas as canções contar algo pessoal.

 

b)      Recadinhos, nem pensar.

Não podemos de forma alguma mandar recadinhos ou indiretas para ninguém durante as ministrações.

 

c)       Buscando o Equilibrio.

Algumas pessoas são mais agitadas e outras mais quietinhas, mas independente do temperamento de cada um, precisamos ministrar com equilíbrio. Não podemos ser agitados demais e nem tranqüilos demais.

 

d)      Ministros bem resolvidos.

Todos nós passamos por momentos difíceis e tristes. Mas nós não podemos levar isso ao púlpito. Uma ministração não pode ser dramática, melancólica ou deprimida. Por isso precisamos ser pessoas bem resolvidas. Passamos sim por problemas  mas isso não pode abalar nossa adoração.

 

e)      Conhecedores da Palavra.

O ministro de louvor precisa conhecer a Palavra de Deus. Precisa estudar, precisa ler, precisa orar. É muito grave cometer um erro teológico durante as ministrações. Lembre-se que você há pessoas novas convertidas, imaturas na fé e passando por muitas situações que estão nos ouvindo. O que você diz tem uma influência enorme na vida das pessoas.

 

f)       Somos facilitadores.

Se nossa função é facilitar a adoração é muito importante que não esqueçamos da congregação. Nós iremos sim adorar, mas não podemos esquecer de tudo a nossa volta e pensarmos somente em nós e Deus. Precisamos estar atentos a resposta da congregação para que possamos tomar atitudes quanto ao estado deles.

Um ministro não deve estar o tempo todo de olhos fechados, naquele momento a igreja está nas mãos dele, o pastor está de costas! Precisamos estar atentos!

 

g)      Evitando a manipulação.

O excesso de levante a mão, bata palmas, feche os olhos, diga isso, diga aquilo e etc, vira manipulação. Precisamos incentivar a igreja e não manipulá-la. O maior incentivo a igreja é a nossa própria atitude de adoração! Nós somos como um espelho. E é por isso que não somos dirigentes de louvor, mas adoradores.

 

h)      E quando a igreja não responde?

Isso é muito constrangedor e desagradável e a nossa reação a isso varia muito. Muitas vezes ficamos constrangidos, ficamos nervosos e irritados, tentamos dar uma mãozinha ao Espírito Santo buscando estratégias para melhorar a situação e muitas vezes ficamos extremamente frustrados achando que fizemos algo errado. Quando a igreja não responde precisamos pedir ajuda ao Espirito para que ele nos mostre o motivo. Existem várias razões para isso acontecer, entre elas estão:

 

- Batalha Espiritual

- Falta de Coerência na escolha das músicas.

- Desequilibrio do ministro (agitado demais ou melancólico demais)

- Tom inadequado para a música congregacional

-  Problemas de preparação espiritual ou técnica

 

5)      O Mover Profético (espontâneos)

Durante a ministração do Louvor Deus pode nos direcionar a algo novo, algo que não estava no ensaio, não estava combinado, algo que Deus coloca diretamente no nosso coração para aquele momento. Para que isso ocorra dentro da vontade do Espírito precisamos tomar alguns cuidados:

 

a)      Não podemos esquecer os músicos. Há um sinal específico para que eles continuem a tocar enquanto há o mover profético

b)      O líder deve estar fundamentado na palavra

c)       Precisa saber a hora certa de começar.

d)      Precisa saber a hora de parar.

e)      O líder não pode abandonar a ministração.

f)       O líder não pode "viajar” tecnicamente.

 

A Ministração do Louvor é algo precioso e de grande responsabilidade, por isso precisamos estar bem preparados tanto tecnicamente como espiritualmente. Não adianta nada fazermos algo perfeito para os homens e imperfeito para Deus. Por isso prepare-se espiritualmente, ore, jejue, tenha comunhão com o Pai. Alinhando todo o conhecimento com a Vida de Adoração genuína seremos usados pelos nosso Deus como Ele quiser!


Todos os Direitos Reservados - Ministério de Louvor Peniel Desenvolvido por Rede Criativa